Manual técnico de arborização urbana com espécies da mata atlântica é lançado em Salvador (Bahia)

salvador árvores

Eu falo “exaustivamente muito” sobre a importância do verde em áreas urbanas. Desde o processo de reconstrução do caos causado pela Revolução Industrial e seus desdobramentos. Assim, compartilho essa matéria que vem de Salvador e que deve ser replicada em todas as demais cidades do Brasil.

Assim, foi lançado essa semana na capital baiana o Manual Técnico de Arborização Urbana de Salvador com espécies nativas da Mata Atlântica. O documento, que contém um guia com 50 espécies do bioma indicadas para plantios nas calçadas da cidade, passa a ser o instrumento legal e técnico para orientar profissionais e cidadãos na escolha de espécies adequadas que se integrem às características do município. A nova publicação tem a chancela da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (SBAU) e é uma das primeiras regulamentações do Plano Diretor de Arborização Urbana (Lei Municipal 9187/2017), do PDDU (Lei Municipal 9069/2016) e da Lei Municipal de Ordenamento e Uso e Ocupação do Solo – LOUOS (Lei 9148/2016).

Com ilustrações, diagramas e explicações técnicas de plantio escritas em uma linguagem simples e bem ilustrada, o livro foi elaborado de forma participativa, em colaboração com técnicos e estudiosos da área, com o objetivo de servir de guia para intervenções na capital baiana.

De acordo com André Fraga, secretário municipal da Cidade Sustentável e Inovação, a produção do manual é uma demanda antiga do município. “Salvador nunca possuiu regras ou orientações técnicas para plantio de árvores na cidade. Além disso, outro objetivo dessa publicação é de popularizarmos nossas espécies nativas do bioma Mata Atlântica”, ressalta.

Orientações técnicas

Para plantios em passeios, por exemplo, o manual destaca a necessidade de verificar a largura do corredor, para harmonizar a circulação dos pedestres e o desenvolvimento da árvore. Considerando que Salvador possui ruas estreitas e calçadas ainda mais estreitadas, buscou-se encontrar uma largura mínima que pudesse compatibilizar a acessibilidade com a arborização e outros elementos urbanos. Além disso, é preciso usar espécies com sistemas radiculares que reduzem danos nas calçadas e sistemas subterrâneos como água, esgoto e telefonia. O Manual explica ainda os fatores que devem ser levados em conta na hora do plantio – como porte, formato da copa (reduzindo a demanda constante e dispendiosa por podas) e adaptação ao clima.

A distância da árvore de mobiliários urbanos como sinalização de trânsito, semáforos, hidrantes e etc, é outro elemento importante considerado no manual.

Guia de espécies

Um dos diferenciais do manual de Salvador é o guia com fotografias e a ficha técnica contendo informações e características de cada uma das de 50 espécies indicadas para serem plantadas em ambiente urbano, como ambiente de origem, porte, locais para plantio e folhagem. Todas as plantas citadas são nativas da Mata Atlântica, bioma nativo de Salvador.

A publicação está disponível para download gratuito no site do projeto Salvador, Capital da Mata Atlântica.

Fonte: https://www.archdaily.com.br/br/883464/manual-tecnico-de-arborizacao-urbana-com-especies-da-mata-atlantica-e-lancado-em-salvador?utm_medium=email&utm_source=ArchDaily%20Brasil

Anúncios

Um em cada quatro jovens vai abandonar o Ensino Médio até o final do ano

 

evasao escolar

Estamos nos aproximando do final do ano letivo, uns bem próximos outros nem tanto assim, em função da necessidade de reposição dos dias parados ou fatores outros alheios ao processo de ensino. Não importa, a verdade é que um em cada quatro jovens irá abandonar o Ensino Médio desse país ainda esse ano. Os dados podem ser melhor analisados clicando em https://www.msn.com/pt-br/noticias/educacao/um-em-cada-quatro-jovens-vai-abandonar-o-ensino-m%c3%a9dio-at%c3%a9-o-final-do-ano/ar-AAtDox2

O ENEM é um reflexo disso. Aclamado por conquistar liberdade de poder se fazer em dois finais de semana, tendo uma das alegações “mehor tempo para se preparar” (como se melhor nos preparássemos em apenas uma semana), o índice de ausentes no primeiro dia ficou em torno de 30%.

A cada ano, quase três milhões de jovens abandonam a escola no Brasil. É o que apontou o estudo Políticas Públicas para Redução do Abandono e Evasão Escolar de Jovens, elaborado pelo Ensino Superior em Negócios, Direito e Engenharia (Insper).

Desesperadamente queremos discutir sobre Evasão mas tudo o que, efetivamente, conseguimos relatarmos os fatos sem conseguirmos ir, de fato, à essencia dos problemas com as suas reais soluções.

Os dados revelam que mais da metade das nações tem menor porcentagem de jovens fora da escola que o Brasil. Se manter este ritmo, o país levará 200 anos para atingir a meta estabelecida no Plano Nacional de Educação: universalizar o atendimento escolar para essa faixa etária – que, pelo plano, deveria ter sido concluída no ano passado.

Ao final deste ano, um em cada quatro jovens entre 15 e 17 anos de idade vão abandonar seus estudos, não vão se matricular para o ano seguinte ou serão reprovados. Isso corresponde a um universo de 2,8 milhões de pessoas (27%), entre os 10 milhões de jovens estimados no país nessa faixa etária e que deveriam, de acordo com a Constituição, estar frequentando a escola.

Desse total de 10 milhões de jovens, cerca de 15% ou 1,5 milhão, sequer vão se matricular para o início do ano letivo. Do restante, entre aqueles que se matriculam, cerca de 7% ou 700 mil jovens vão abandonar a escola antes do final do ano. Além disso, cerca de 600 mil alunos (5%) serão reprovados por faltas, o que completa os 2,8 milhões de jovens que estarão fora da escola a cada ano.

Segundo o estudo, mais da metade desses jovens (59% do total ou cerca de 6,1 milhões) vai concluir o Ensino Médio com no máximo um ano de atraso. Além de todos os problemas que isso provocará para o futuro desse jovem e para o país, a evasão (ausência de matrícula no início do ano letivo) e o abandono escolar (desistência durante o ano escolar) dos jovens também implica em prejuízo econômico: cerca de R$ 35 bilhões por ano são desperdiçados no país por causa dessa realidade.

O estudo mostra ainda que houve uma estagnação na matrícula dos jovens entre 15 e 16 anos e que a porcentagem de jovens de 17 anos fora da escola cresceu 6 pontos percentuais nos últimos 15 anos, passando de 34% para 39,8%. Isso, segundo o estudo, contradiz uma tendência mundial: dados da Unesco apontam que 74% dos países avançam mais rapidamente na inclusão de jovens de 15 a 17 anos que o Brasil.

Menina de 11 anos vence prêmio com sensor que detecta chumbo na água

menina

Aqui está a importância de se investir em pesquisa o quanto antes e não apenas na universidade. Aliás, por falar nisso, os Institutos Federais são duramente criticados por pesquisas em Ensino Médio.

Assim, compartilho a matéria de uma menina que, com apenas 11 anos, nos brinda com algo tão relevante para quem trabalha com detectação de metais pesados, dentre eles, o chumbo.

Gitanjali Rao é uma menina de 11 anos de Colorado, cidade nos Estados Unidos, que se tornou a cientista mais jovem do país. Ela venceu o Discovery Education 3M Young Scientist Challenge por criar um dispositivo que detecta níveis de chumbo na água. A estudante da sétima série leva para casa o prêmio de US$ 25 mil (quase R$ 82 mil).

O projeto, segundo ela, foi inspirado na crise hídrica da cidade de Flint, em Michigan, entre 2014 e 2015, em que o sistema de água estava altamente contaminado por chumbo. Mais de 80 casos de contaminação foram detectados na população, principalmente em crianças, e 12 pessoas morreram.

Ela levou em consideração a quantidade de pessoas que tinham sido afetadas e que o problema não era apenas em Flint. Mais de 5.300 sistemas de águas nos Estados Unidos sofrem com isso, de acordo com dados de 2016.

“A ideia veio assim que meus pais fizeram o teste de chumbo na nossa água”, contou Gitanjali ao Business Insider. “Eu pensei: ‘bem, esse não é um processo confiável e eu tenho de fazer algo para mudar isso'”, disse.

Há dois métodos para descobrir se a água está contaminada: usar tiras de teste de chumbo – processo rápido, mas não muito preciso – ou enviar uma amostra da água para análise, que leva tempo e requer equipamentos caros. A menina queria uma solução mais efetiva.

Assim, trabalhando com cientistas da 3M (companhia de tecnologia que atua em diversas áreas), Gitanjali criou o dispositivo que usa nanotubos de carbono programados para detectar a presença de chumbo na água. O aparelho está conectado a um aplicativo de celular que mostra o status do líquido. O processo leva de 10 a 15 segundos, ela diz.

O dispositivo recebeu o nome de Tethys, deus grego da água, e demorou cinco meses para ficar pronto. Agora, ela pretende aprimorá-lo e, eventualmente, vendê-lo para qualquer pessoa que more em uma região que enfrenta o problema da contaminação.

Quando crescer, Gitanjali quer ser geneticista ou epidemiologista, áreas que podem trabalhar com casos assim. “Se você toma banho com água contaminada, pode ter irritação na pele e isso pode ser facilmente estudado por um epidemiologista. E se alguém bebe água com chumbo, os filhos dela podem ter complicações”, diz.

“Eu estudei um pouco desses temas desde que fiquei interessada na área e então vim com esse dispositivo para ajudar a salvar vidas”, declara a menina.

Fonte: https://www.msn.com/pt-br/noticias/ciencia-e-tecnologia/menina-de-11-anos-vence-pr%C3%AAmio-com-sensor-que-detecta-chumbo-na-%C3%A1gua/ar-AAujMC6

O Brasil arde em chamas

chapada

Na qualidade de um engenheiro agrônomo ambientalista, recebo com elevado carinho a solicitação da minha irmã, professora da UnB, para que publicasse e compartilhasse nesse blog o clamor de duas colegas nossas, também professoras da UnB, referente a queimada na Chapada dos Veadeiros.

Na verdade, não se queima apenas na Chapada dos Veadeiros. Antes fosse! Essa metodologia pré-histórica, dos homens das cavernas, ainda insistem em ser utilizada criminosamente em pleno século XXI. Ou seja, na ausência de soluções, queima-se! seja lixo ou qualquer outra coisa que se venha à mente.

Dessa forma, difícil traduzir em palavras a catástrofe ocorrida na Chapada dos Veadeiros. Desde o dia 17/10 a Chapada queima em labaredas que devoram o que encontram pela frente. Quando escrito no dia 25/10, já eram 69 mil hectares destruídos apenas dentro da área do Parque Nacional, sem contar as áreas externas ao mesmo que, quando consideradas, somam cerca de 80 mil hectares atingidos.

O que a natureza levou milhões de anos para formar, um fogo de origem criminosa, conforme notícia do ICMBio (http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-10/icmbio-incendio-que-ja-atinge-22-da-chapada-dos-veadeiros-foi-criminoso), destruiu em 8 dias.

Uma paisagem natural se forma por meio de complexas relações entre o clima, a rocha, os solos, a vegetação, os animais e os microrganismos e finalmente as intervenções humanas. As paisagens existentes na Chapada dos Veadeiros são de idades geológicas estimadas em mais de 500 milhões de anos, o que explica a beleza cênica estonteante, a riqueza e a diversidade em fauna e flora. Alguns danos infelizmente podem ser irreparáveis. Mas a importância da região não se restringe ao Brasil Central. Estamos falando do berço das águas do Brasil e da América do Sul.

A Chapada dos Veadeiros revela ser uma região de suma importância como referência em proteção de suas nascentes e águas superficiais, como rios, veredas, campos úmidos e águas de recarga- águas subterrâneas. A região está situada em Cerrados de Altitude (abrange 95% de sua cobertura), com ecossistemas e biodiversidade presentes somente nestas altitudes. Cabeceiras situadas nestas áreas de transição naturalmente fluem para bacias contíguas e muitas vezes formam corredores ecológicos. Baseado no potencial de sistemas aquáticos localizados em áreas de nascentes, ainda com condições naturais e protegidas, de abrigar espécies endêmicas e ameaçadas, esta região deveria estar sob proteção ambiental de forma integral e permanente.
_________
Carmen Regina Mendes de Araújo Correia-Engenheira Agrônoma, doutora em Ecologia.
Claudia Padovesi Fonseca, Bióloga, doutora em Limnologia
UnB – Universidade de Brasília
Departamento de Ecologia, Instituto de Biologia
Laboratório de Limnologia – Grupo de pesquisa  AquaRiparia

ONU está selecionando 17 jovens

ODS

As Nações Unidas (ONU) vem trabalhando no desenvolvimento de 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS para o futuro do planeta (https://nacoesunidas.org/conheca-os-novos-17-objetivos-de-desenvolvimento-sustentavel-da-onu/).

Entre os dias 25 e 27 de setembro, mais de 150 líderes mundias estiveram na sede da ONU, em Nova York, para adotar formalmente uma nova agenda de desenvolvimento sustentável. Esta agenda é formado pelos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que devem ser implementados por todos os países do mundo durante os próximos 15 anos, até 2030.

É fundamental que a sociedade como um todo tenha acesso e, efetivamente, conheça e viva esses objetivos.

Agora a ONU está selecionando 17 jovens para atuarem como líderes destas ações. As Inscrições estão abertas!

Acesse o site: http://sdgyoungleaders.org/about/

É fundamental que os nossos jovens se transformem em jovens líderes e abracem causas ligadas à essas temáticas.

A tese de Stephen Hawking derrubou o site da Universidade de Cambridge – Step inside the mind of the young Stephen Hawking as his PhD thesis goes online for first time

hawkins

Interessante a notícia que hoje compartilho com os colegas desse blog.

(To read in English, please type: https://www.cam.ac.uk/research/news/step-inside-the-mind-of-the-young-stephen-hawking-as-his-phd-thesis-goes-online-for-first-time).

O que leva a Teoria da Relatividade de Einstein manter-se atual? O que faz o quadro de Monalisa ainda ser o mais procurado? E, hoje, a tese de Stephen Hawking derrubar o site da Universidade inglesa de Cambridge? GENIALIDADE!

Diante do exposto, compartilho hoje essa incrível notícia que, em portugues, dentre vários endereços, a matéria pode ser encontrada na página da UOL (lik abaixo).

Em pleno século 21, uma tese escrita por um jovem físico britânico em 1966 levou ao colapso, dia 23/10/2017, do site de uma das universidades mais prestigiadas do mundo. Tamanha popularidade seria de se estranhar, não fosse o autor do trabalho: Stephen Hawking, então com 24 anos.

Em menos de 12 horas, a tese, intitulada “As propriedades de um Universo em expansão”, foi acessada por mais de 30 mil pessoas no site da Universidade de Cambridge, na Inglaterra (www.cam.ac.u). É o documento mais visitado no site da instituição.

EXPLICADO: a Universidade de Cambridge digitalizou e disponibilizou para todos a tese do Hawkings (Properties of expanding universes’) pela primeira vez, permitindo aos usuários “navegarem” pela mente desse gênio da humanidade.

Dessa forma, a tese do Professor Hawking’s, escrita e defendida em 1966, ‘Properties of expanding universes’ está disponível em https://doi.org/10.17863/CAM.11283 ou em alta resolução na Biblioteca Digital da Universidade de Cambridge em https://cudl.lib.cam.ac.uk/view/MS-PHD-05437/1

Para maiores informações, acessem: www.openaccessweek.org

E, como todo bom gênio, isso somente foi possível pois o  físico, considerado um dos mais respeitados por seu trabalho, que ajuda a entender melhor o Universo em que vivemos, sinalizou que permitiu a publicação da tese, na íntegra para “inspirar as pessoas”.

Fonte 1: https://www.cam.ac.uk/research/news/step-inside-the-mind-of-the-young-stephen-hawking-as-his-phd-thesis-goes-online-for-first-time 

Fonte 2: https://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/bbc/2017/10/23/popularidade-da-tese-de-doutorado-de-stephen-hawking-derruba-site-da-universidade-de-cambridge.htm

British Library disponibiliza os manuscritos de Leonardo da Vinci online

vinci

Compartilho essa matéria juntos aos amantes da genialidade!

(To read in English, please, type http://www.bl.uk/turning-the-pages/?id=cb4c06b9-02f4-49af-80ce-540836464a46&type=book and/or http://www.bl.uk/onlinegallery/features/leonardo/ttp.html)

Pintor, escultor, arquiteto, matemático, engenheiro, botânico, historiador, músico… parece que a lista de aptidões de Leonardo da Vinci (1452-1519) é realmente universal – e talvez seja justamente por isso que ele seja um dos artistas mais famosos do mundo, dentro e fora dos círculos da arte.

Em vida, parte de suas ideias e reflexões foram registradas em seus cadernos de anotações. Alguns destes manuscritos foram perdidos com o passar dos séculos e os que restaram se tornaram objetos raríssimos acessados apenas por um seleto grupo de colecionadores e historiadores – até agora.

Uma colaboração entre a British Library e a Microsoft, intitulada Turning the Pages 2.0tornou 570 páginas do Codex Arundel de da Vinci disponíveis online e gratuitamente. Agora, qualquer pessoa pode navegar pelos escritos de uma das mentes mais inventivas do Renascimento. Nas centenas de páginas digitalizadas encontram-se ideias para aviões, helicópteros, paraquedas, submarinos e automóveis, séculos antes destes terem sido desenvolvidos e trazidos ao mundo.

O processo de digitalização teve início em 2007 hoje é possível “virar” as páginas do manuscrito de da Vinci como se fosse um livro real, porém, acompanhado de anotações da British Library.

Navegue pelos textos e desenhos de Leonardo da Vinci aqui, e para conhecer mais da vida e obra do inventor, clique aqui

Fonte: http://www.archdaily.com.br/br/877493/british-library-disponibiliza-os-manuscritos-de-leonardo-da-vinci-online?utm_medium=email&utm_source=ArchDaily%20Brasil