‘Guia do Preguiçoso para Salvar o Mundo’ com dicas de pequenas atitudes para o dia a dia

guia

(To read in English, please type: http://www.un.org/sustainabledevelopment/takeaction/)

Pois é, até parece piada. Mas em época de elevadíssimo stress, cansaço e irritação, a UNIC (sigla em inglês para o Centro de Informações das Nações Unidas) acaba de lançar o Guia do Preguiçoso.

Você quer ajudar a mudar e salvar o mundo mas tem preguiça até de levantar do sofá para pegar o controle remoto? Então confira o Guia do Preguiçoso para Salvar o Mundo, campanha digital que o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) lançou neste 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos.

O UNIC Rio produziu 42 postais em português adaptando o material criado em inglês que dá dicas de atitudes que podem ser tomadas para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento sustentável (ODS) da Agenda 2030.

A Agenda é um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade, com o objetivo de não deixar ninguém para trás. Os ODS buscam concretizar os direitos humanos de todos e são integrados e indivisíveis, equilibrando as três dimensões do desenvolvimento sustentável: econômica, social e ambiental.

“Este guia nos lembra que os direitos humanos são exercidos dia após dia, por cada um de nós, e todos podemos fazer uma diferença. Os direitos humanos não são unicamente políticos ou civis, mas também econômicos, sociais e culturais, e a cada dia mais ambientais”, avalia o diretor do UNIC Rio, Maurizio Giuliano.

O Guia do Preguiçoso traz dicas divididas em categorias: Sofá Superstar, Heroína ou Herói da Família e Pessoa Legal do Bairro, de acordo com o grau de envolvimento e dificuldade da mudança de comportamento.

Alguns exemplos: pagar as contas online e cancelar extratos bancários em papel evita a destruição de florestas. Apagar as luzes – inclusive da sala, se a iluminação da TV ou do computador forem suficientes – economiza energia. Comprar produtos que usem pouca embalagem.

Reaproveitar a água da chuva para limpar calçadas e regar plantas. Comprar em lojas de segunda mão: produtos novos não são necessariamente melhores.

O diretor do UNIC Rio lembra que muitas das ações estão ligadas ao meio ambiente: “Isto nos lembra algo muito crítico, quase dramático: temos todos que trabalhar para que o planeta Terra siga sendo habitável”, afirma Maurizio Giuliano.

A campanha tem 42 dicas que podem ser aplicadas no dia a dia de qualquer pessoa e entra no ar das redes da ONU Brasil a partir de 10 de dezembro. A data marca o Dia Internacional dos Direitos Humanos, quando a Assembleia Geral da ONU adotou, em 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que completa 70 anos em 2018.

Fonte: https://nacoesunidas.org/unic-rio-lanca-guia-do-preguicoso-para-salvar-o-mundo-com-dicas-de-pequenas-atitudes-para-o-dia-a-dia/amp/

Anúncios

Pesquisa da Unicamp descobre uso de nanopartículas de ferro para fortificar leite para recém-nascidos

leite

A notícia hoje compartilhada pode parecer estranha mas é tão impactante para as nossas vidas quanto foi a inclusão do Iodo no sal nosso de cada dia. O elemento Ferro é crítico em crianças e em mulheres durante o período gestacional e em amamentação.

Dessa forma, apesar dos “trancos e barrancos”, do que significa pesquisar em um país onde pesquisa nunca foi prioridade, observa-se que uma investigação desenvolvida pela Unicamp, em Campinas (SP), em parceria com a Universidade de Oviedo, na Espanha, encontrou uma forma de utilizar nanopartículas de ferro na fortificação de leite para recém-nascidos. A tecnologia é possível tanto para uso em fórmulas infantis como para ser somada ao leite materno.

A descoberta desse uso permite que o ferro – essencial para evitar doenças como anemia e para estimular o desenvolvimento do bebê – seja melhor absorvido pelo organismo. O teste foi feito em cobaias e o próximo passo é fazer experimentos in vitro (teste em laboratório com células intestinais).

A partir do leite materno

A nanopartícula ainda não havia sido testada como fortificante, segundo a pesquisadora. Em parceria com a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, foi analisado o ferro na composição do leite materno. Já o estudo do metabolismo desse componente químico foi feito na Espanha, com tecnologia avançada.

“No Brasil não tem os equipamentos necessários para fazer as análises, então parte delas foi feita em Oviedo. Fizemos o estudo do metabolismo do ferro quando administrado sob a forma de nanopartículas. […] O estudo é inédito por conta dos métodos usados para estudar o metabolismo”, explica Rafaella.

Integram o grupo de pesquisadores a professora Solange Cadore, do departamento de química analítica do Instituto de Química, e o professor Alfredo Sanz Medel, do departamento de físico-química e analítica na Espanha, supervisor dos estudos.

No leite materno, o ferro está ligado a proteínas, é o que faz com que ele seja melhor absorvido, segundo Rafaella.

Desenvolvimento do bebê

A absorção do ferro pelo organismo, principalmente, de recém-nascidos é essencial para a prevenção de doenças como a anemia e o crescimento da criança.

Em relação aos bebês prematuros, Rafaella ressalta que muitas vezes o leite materno não está disponível, e eles têm maior necessidade de ingerir nutrientes. Nesses casos, a opção é o leite humano doado ou as fórmulas infantis.

“É aí que essa nanopartícula pode ser utilizada. Nós temos o ferro de uma maneira que ele possa ser melhor absorvido. […] Às vezes, tem bebês que nascem com enfermidades que necessitam de maior teor de ferro. Se o ferro tem maior biodisponibilidade [melhor absorção no organismo] não precisa adicionar tanto e possivelmente não tem nenhum efeito tóxico para o organismo”, diz.

Atualmente é usado sulfato ferroso nas fórmulas infantis, mas, segundo Rafaella, já se sabe que o organismo absorve pouco – em média 5% -, o que acaba fazendo com que os fabricantes adicionem mais desse “ingrediente” no leite. Segundo o estudo, em excesso, o sulfato ferroso pode causar efeitos gastrointestinais colaterais e interferir na absorção de outros nutrientes.

Metabolismo em cobaias

Em cobaias, os pesquisadores analisaram como as nanopartículas de ferro se metabolizam no organismo a partir da fórmulas de leite. Ela foi administrada em ratos e, posteriormente, o foco foi o resultado no sangue e no fígado.

Próximos passos

A pesquisadora explica que mais testes com relação ao metabolismo e a biodisponibilidade in vitro ainda estão sendo realizados.

“Em laboratório, simulamos uma camada intestinal, e isso em um método que o laboratório da professora Solange foi pioneiro no Brasil. Fazendo os testes in vitro temos a possibilidade de fazer um número maior de ensaios”, explica.

A nanopartícula de ferro já está patenteada e a pesquisa está em processo de publicação em revistas internacionais. O estudo segue em andamento e, segundo Rafaella, ainda não há uma previsão para que a novidade seja disponibilizada no mercado.

Fonte: https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/pesquisa-da-unicamp-descobre-uso-de-nanoparticulas-de-ferro-para-fortificar-leite-de-recem-nascidos.ghtml

PALESTRA INTERNACIONAL EM CURITIBA (PR) SOBRE ECOLOGIA E PLANEJAMENTO URBANO

polonia 2

Prezados colegas, professores, alunos e comunidade em geral, no dia 30 de novembro (quinta-feira), se realizará no Auditório do IFPR – Instituto Federal do Paraná, Campus Curitiba, localizado na Rua João Negrão, 1285 – bairro Rebouças, com ENTRADA FRANCA, uma palestra internacional, com os professores Piotr Tryjanowski (Universidade de Poznan, Polônia) e Martin Hromada (Universidade de Presov, Eslováquia), além do professor Fabio Angeoletto, do Mestrado em Geografia da UFMT em Rondonópolis.

A visita dos professores europeus tem por objetivo ministrar conferências sobre ecologia humana, ecologia urbana no contexto do Planejamento Urbano. Essas conferências vão acontecer em dois horários (11:00 e 19:30 hs).

polonia 1

A expectativa é conseguir reunir pessoas de todos os segmentos da sociedade local.

O tema abordará entre outros sobre a Análise Comparativa entre a ecologia de cidades do Brasil, Eslováquia e Polônia, no qual Hromada e Tryjanowski estão compilando dados socioambientais das cidades dos seus países, para compararmos com dados de cidades brasileiras. “Vamos compreender quais são as semelhanças e diferenças da urbanização de cidades da Europa e do Brasil. Injustiça Ambiental na Arborização Urbana.

O alerta dos pesquisadores é o de que a manutenção desses serviços depende crescentemente de como se manifestam os padrões de crescimento urbano. “As cidades estão geralmente localizadas em ambientes cruciais à conservação da biodiversidade, como rios e florestas, o que evidencia a importância do planejamento de cidades mais amigáveis para a vida silvestre. Indubitavelmente, o planejamento adequado dos ecossistemas urbanos é tão importante à conservação ambiental quanto o estabelecimento de áreas naturais legalmente protegidas”.

“O desenvolvimento de mecanismos para a compreensão das conexões entre a urbanização e a degradação ambiental é um desafio complexo, dados os múltiplos fatores sociais, ambientais, culturais e econômicos que devem ser considerados nestas pesquisas. Mas é preciso produzir informações e conhecimentos que guiem planejadores e gestores em suas decisões”, concordam os pesquisadores.

Programa seleciona projetos para estágio na Suécia

suécia

Inscrições podem ser feitas até 11 de dezembro!

O Centro de Pesquisa e Inovação Sueco Brasileiro (CISB) abriu chamada pública para seleção de projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, para participar do programa de Estágio Sênior no Exterior (ESN). As propostas devem ser enviadas para o e-mail projects@cisb.org.br até o dia 11 de dezembro.

O programa é destinado a doutores com vínculo empregatício com instituição brasileira de ensino ou pesquisa, e a pesquisadores, com histórico de colaboração com indústrias e/ou com a Suécia, assim como com bom índice de produtividade científica e tecnológica.

Serão priorizados projetos nas seguintes áreas: Conceito metodológico, Design e Análises Operacionais; Design geral e integração de sistemas; Redes de comunicação, C2 / ATM e Cyber Security; HMI e Sistema Autônomo; Tomada de decisão distribuída; Sensores – Sistema e Funções; Sistemas Intensivos de Software; Aeronautical Enginering and Vehicle Systems incl. Propulsão; Materiais, Design / Instalação de Estrutura, Técnica Estrutural e Fabricação; Suporte de manutenção e logística; e Gerenciamento e Desenvolvimento Integrado de Produto (Lean, PMP, etc.).

As propostas serão avaliadas por especialistas com experiência na indústria e na academia. O resultado será divulgado no dia 20 de janeiro.

A bolsa

O CISB pretende apoiar até três bolsas. O período de implementação da bolsa será de fevereiro a agosto de 2018, e a vigência será de um mês. Entre os benefícios, os bolsistas receberão mensalidade no valor de SEK 20.780,00; auxílio instalação; seguro assistência viagem; e auxílio deslocamento para aquisição de passagens aéreas.

Acesse a página da chamada pública.

Fonte: http://www.ifes.edu.br/noticias/17668-programa-seleciona-projetos-para-estagio-na-suica

CNPq recebe inscrições para o Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica

cnpq

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Atribuído em três categorias Bolsista de Iniciação Científica, Bolsista de Iniciação Tecnológica, e Mérito Institucional, as submissões podem ser feitas até 09 de março de 2018.

O Prêmio é destinado aos bolsistas de Iniciação Científica e Tecnológica do CNPq e às instituições participantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic e Pibiti). O objetivo é reconhecer os bolsistas cujos relatórios finais se destacam pela relevância e qualidade, e as instituições que contribuíram para alcançar os objetivos do programa.

A inscrição é feita a partir das indicações das coordenações do Pibic e Pibiti das universidades e das instituições de pesquisa, feitas por e-mail, para concorrer à etapa nacional. Podem ser indicados até seis bolsistas de Iniciação Científica e Tecnológica do CNPq (três por categoria, sendo um por cada grande área de conhecimento) que apresentaram os melhores relatórios, classificados ou premiados pelo comitê interno ou externo nas jornadas, salões ou seminários realizados nas instituições de ensino e pesquisa no 2º semestre de 2017.Podem participar bolsistas que desenvolveram projetos no período compreendido de 1º de agosto de 2016 a 31 de julho de 2017, independente da continuidade ou renovação da bolsa para o próximo período.

Os vencedores receberão R$ 7 mil em dinheiro, bolsas de mestrado ou doutorado, passagens aéreas e hospedagem para participar da próxima reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), na Universidade Federal de Alagoas (UFAL), em julho de 2018.

Na categoria Mérito Institucional, podem concorrer os participantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic) que tenham bolsistas inscritos no Prêmio. A instituição agraciada receberá um troféu.

O resultado do prêmio será anunciado pelo CNPq até 18 de maio de 2018.

Saiba mais na página do Prêmio na internet.

Fonte: Coordenação de Comunicação Social do CNPq

Um em cada quatro jovens vai abandonar o Ensino Médio até o final do ano

 

evasao escolar

Estamos nos aproximando do final do ano letivo, uns bem próximos outros nem tanto assim, em função da necessidade de reposição dos dias parados ou fatores outros alheios ao processo de ensino. Não importa, a verdade é que um em cada quatro jovens irá abandonar o Ensino Médio desse país ainda esse ano. Os dados podem ser melhor analisados clicando em https://www.msn.com/pt-br/noticias/educacao/um-em-cada-quatro-jovens-vai-abandonar-o-ensino-m%c3%a9dio-at%c3%a9-o-final-do-ano/ar-AAtDox2

O ENEM é um reflexo disso. Aclamado por conquistar liberdade de poder se fazer em dois finais de semana, tendo uma das alegações “mehor tempo para se preparar” (como se melhor nos preparássemos em apenas uma semana), o índice de ausentes no primeiro dia ficou em torno de 30%.

A cada ano, quase três milhões de jovens abandonam a escola no Brasil. É o que apontou o estudo Políticas Públicas para Redução do Abandono e Evasão Escolar de Jovens, elaborado pelo Ensino Superior em Negócios, Direito e Engenharia (Insper).

Desesperadamente queremos discutir sobre Evasão mas tudo o que, efetivamente, conseguimos relatarmos os fatos sem conseguirmos ir, de fato, à essencia dos problemas com as suas reais soluções.

Os dados revelam que mais da metade das nações tem menor porcentagem de jovens fora da escola que o Brasil. Se manter este ritmo, o país levará 200 anos para atingir a meta estabelecida no Plano Nacional de Educação: universalizar o atendimento escolar para essa faixa etária – que, pelo plano, deveria ter sido concluída no ano passado.

Ao final deste ano, um em cada quatro jovens entre 15 e 17 anos de idade vão abandonar seus estudos, não vão se matricular para o ano seguinte ou serão reprovados. Isso corresponde a um universo de 2,8 milhões de pessoas (27%), entre os 10 milhões de jovens estimados no país nessa faixa etária e que deveriam, de acordo com a Constituição, estar frequentando a escola.

Desse total de 10 milhões de jovens, cerca de 15% ou 1,5 milhão, sequer vão se matricular para o início do ano letivo. Do restante, entre aqueles que se matriculam, cerca de 7% ou 700 mil jovens vão abandonar a escola antes do final do ano. Além disso, cerca de 600 mil alunos (5%) serão reprovados por faltas, o que completa os 2,8 milhões de jovens que estarão fora da escola a cada ano.

Segundo o estudo, mais da metade desses jovens (59% do total ou cerca de 6,1 milhões) vai concluir o Ensino Médio com no máximo um ano de atraso. Além de todos os problemas que isso provocará para o futuro desse jovem e para o país, a evasão (ausência de matrícula no início do ano letivo) e o abandono escolar (desistência durante o ano escolar) dos jovens também implica em prejuízo econômico: cerca de R$ 35 bilhões por ano são desperdiçados no país por causa dessa realidade.

O estudo mostra ainda que houve uma estagnação na matrícula dos jovens entre 15 e 16 anos e que a porcentagem de jovens de 17 anos fora da escola cresceu 6 pontos percentuais nos últimos 15 anos, passando de 34% para 39,8%. Isso, segundo o estudo, contradiz uma tendência mundial: dados da Unesco apontam que 74% dos países avançam mais rapidamente na inclusão de jovens de 15 a 17 anos que o Brasil.

O Brasil arde em chamas

chapada

Na qualidade de um engenheiro agrônomo ambientalista, recebo com elevado carinho a solicitação da minha irmã, professora da UnB, para que publicasse e compartilhasse nesse blog o clamor de duas colegas nossas, também professoras da UnB, referente a queimada na Chapada dos Veadeiros.

Na verdade, não se queima apenas na Chapada dos Veadeiros. Antes fosse! Essa metodologia pré-histórica, dos homens das cavernas, ainda insistem em ser utilizada criminosamente em pleno século XXI. Ou seja, na ausência de soluções, queima-se! seja lixo ou qualquer outra coisa que se venha à mente.

Dessa forma, difícil traduzir em palavras a catástrofe ocorrida na Chapada dos Veadeiros. Desde o dia 17/10 a Chapada queima em labaredas que devoram o que encontram pela frente. Quando escrito no dia 25/10, já eram 69 mil hectares destruídos apenas dentro da área do Parque Nacional, sem contar as áreas externas ao mesmo que, quando consideradas, somam cerca de 80 mil hectares atingidos.

O que a natureza levou milhões de anos para formar, um fogo de origem criminosa, conforme notícia do ICMBio (http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2017-10/icmbio-incendio-que-ja-atinge-22-da-chapada-dos-veadeiros-foi-criminoso), destruiu em 8 dias.

Uma paisagem natural se forma por meio de complexas relações entre o clima, a rocha, os solos, a vegetação, os animais e os microrganismos e finalmente as intervenções humanas. As paisagens existentes na Chapada dos Veadeiros são de idades geológicas estimadas em mais de 500 milhões de anos, o que explica a beleza cênica estonteante, a riqueza e a diversidade em fauna e flora. Alguns danos infelizmente podem ser irreparáveis. Mas a importância da região não se restringe ao Brasil Central. Estamos falando do berço das águas do Brasil e da América do Sul.

A Chapada dos Veadeiros revela ser uma região de suma importância como referência em proteção de suas nascentes e águas superficiais, como rios, veredas, campos úmidos e águas de recarga- águas subterrâneas. A região está situada em Cerrados de Altitude (abrange 95% de sua cobertura), com ecossistemas e biodiversidade presentes somente nestas altitudes. Cabeceiras situadas nestas áreas de transição naturalmente fluem para bacias contíguas e muitas vezes formam corredores ecológicos. Baseado no potencial de sistemas aquáticos localizados em áreas de nascentes, ainda com condições naturais e protegidas, de abrigar espécies endêmicas e ameaçadas, esta região deveria estar sob proteção ambiental de forma integral e permanente.
_________
Carmen Regina Mendes de Araújo Correia-Engenheira Agrônoma, doutora em Ecologia.
Claudia Padovesi Fonseca, Bióloga, doutora em Limnologia
UnB – Universidade de Brasília
Departamento de Ecologia, Instituto de Biologia
Laboratório de Limnologia – Grupo de pesquisa  AquaRiparia